A Casa Azul

Impossível não se emocionar com o trabalho da designer Mary Figueiredo Arantes, da grife mineira de acessórios Mary Design. Quem teve a sorte de assistir à palestra e de ver o desfile da marca ontem, no Donna Fashion DC Iguatemi, deve saber do que estou falando.

Intitulada “A Casa Azul”, a coleção verão 2012 da grife é inspirada em ninhos e nuvens e na sensação de acolhimento e conforto  que essas referências passam. No desfile,  já vamos entrando no clima com sons de crianças, passos e barulhos que remetem a uma casa onde mora gente feliz.

Logo aparecem as peças incríveis, inusitadas e criativas da grife, feitas com materiais como grampos de roupa de madeira e peças do jogo infantil “pequeno engenheiro”.

Desfile curtinho, mas com certeza um dos melhores de todo o evento!

Fotos: Hermes Bezerra

Publicado em Desfiles, Eventos | Marcado com , , | 2 Comentários

Donna Fashion DC Iguatemi – dia 2

Dois minutos de imagens do segundo dia de Donna Fashion DC Iguatemi. Tem bunda, tem tanquinho, e beijinho no final também.

Não enjoem, ainda tem mais!

Publicado em Desfiles, Eventos | Marcado com , | 5 Comentários

Donna Fashion DC Iguatemi – dia 1

Esse vídeo foi produzido pelo meu lindo Eduardo Piovesan durante o primeiro dia do Donna Fashion DC Iguatemi. Tem Erika Palomino, Victor Dzenk, Renata Kuerten… adorei!

Música: The Dandy Warhols – Bohemian Like You

Publicado em Eventos | Marcado com , , , , , | 1 Comentário

Donna Fashion DC Iguatemi verão 2012

Começa hoje o Donna Fashion DC Iguatemi, que abre logo de cara com a palestra “Processo criativo de uma coleção” e desfile da coleção verão 2012 do estilista mineiro Victor Dzenk.

Quem for conferir o desfile da Bobstore vai poder ver de perto a top catarinense Renata Kuerten, convidada especial da grife. E, para fechar o primeiro dia, a Tida leva para a passarela looks de marcas incríveis como Gloria Coelho e André Lima, além de um desfile exclusivo das camisas da Dudalina Feminina.

O estilista Victor Dzenk

Tá bom ou é pouco?

Publicado em Desfiles, Eventos | Marcado com , , , , | Deixe um comentário

The Coveteur – Nicky Hilton

Meninas que gostam das bolsas da grife Balenciaga: não vale sentir inveja da Nicky Hilton ao ver essas imagens do The Coveteur, ok?

Também não vale invejar o closet só de sapatos de salto e o outro só com sapatilhas e rasteiras, e muito menos a coleção de lenços de caveira McQueen. Difícil, né?

Para quem não conhece o site, já fiz um post sobre aqui.

Publicado em Etc. | Marcado com , , | 6 Comentários

Para quem tem pés bonitos

Sempre achei lindo esse modelo de sandália que só tem uma tira próxima aos dedos e outra que fecha no tornozelo. É super sexy e feminino. Mas fica bem melhor em quem tem pés bonitos (não tipo o meu, cheio de calos) e pernas finas…tá?

Imagens do Fashionologie, que diz que a sandália consegue ser lady-like e irreverente ao mesmo tempo.

Publicado em Tendências | Marcado com , | 1 Comentário

Sobre fast fashion 2

E aí que mais uma grife se envolveu em polêmica e foi parar nos Trending Topics do Twitter. Depois da Arezzo e o uso de peles de verdade, foi a vez da rede espanhola Zara, que se viu envolvida em acusações de trabalho escravo.

Foi o programa A Liga, da Band, que denunciou grupos de estrangeiros, a maioria bolivianos, vivendo precariamente e trabalhando em condições similares à de escravidão em São Paulo.

É claro que, quem tem um mínimo de conhecimento de como funciona a indústria da moda (e da lógica!) sabe que redes de fast fashion, tanto internacionais quanto brasileiras, não pagam nada bem seus trabalhadores. Volta e meia aparece um escândalo do tipo – lembram da Pernambucanas?

Programa A Liga mostrou condições precárias de trabalho

Para quem está mais preocupado em fazer sua parte do que em sair por aí chamando todos de hipócritas, Gloria Kalil dá uma ajuda e alivia a consciência dos consumidores. Repito aqui o que ela disse sobre consumo consciente:

Aí é uma carga de cobrança do consumidor que você não pode exigir. Você não pode exigir que cada roupa tenha um livro explicando o que aconteceu, daonde veio, daonde não veio. Eu tenho a impressão que a sustentabilidade e a preservação é uma necessidade no nosso planeta, e aos poucos todas as indústrias vão chegar nisso. Quer dizer, eu acho que isso ainda é uma responsabilidade governamental, empresarial e dos fabricantes, muito mais que do consumidor.”

É claro que não devemos tapar nossos olhos para esse tipo de desrespeito ao trabalhador. Quem quiser parar de comprar na Zara e em outras fast fashions por causa disso, ótimo. Cada um faz sua parte como desejar e luta pelas causas que mais lhe sensibiliza. Mas a responsabilidade não é toda do consumidor, não.

Por enquanto, confesso que acho bem difícil resistir a esse tipo de tentação. Acho que quem curte moda, quem está ligado nas tendências e não tem dinheiro o bastante para ter peças de grifes caras (do tipo poucas e boas, aquelas que duram para sempre), acaba recorrendo às redes de fast fashion mesmo. É natural.

Mas também é ótimo que as pessoas, mesmo as que nunca ouviram falar na Zara na vida, se manifestem nas redes sociais contra esse tipo de abuso. É uma maneira simples de expressar a opinião e atingir diretamente a empresa. Agora é esperar para ver a resposta da rede…

Publicado em Etc. | Marcado com , , , , , , | 11 Comentários